digo e o oposto, constantemente volúvel, às vezes verdade. juro pela minha alma, mais do que vinho amo a água e só me desenseda e lava, a cara, o corpo e a vergonha de ser quem não quero. os sonhos antigos são sonhos e antigos e os novos de esperar, é esta a vida a mim agarrada, se esperança existe.

domingo, dezembro 24, 2017

Segredo de notícias

.
Ela escreveu:
.
– Traz-me notícias de mim.
.
Não pediu, ordenou.
.
Eu, como fosse até aí triste e afogueado, amando-a de improviso.
.
Disse-lhe num papel:
.
– Não sou correspondido, como não o és.
.
Pudesse, o Inverno seria outra coisa. Um tempo qualquer, antes e depois da janela.
.
Como dar-te notícias de ti? Não tas tenho nem o que suponho que as possa reunir.
.
São notícias de segredo.
.
Por isso, não as tenho.
.
Se as tivesse, quebrar-se-iam os mistérios.
.
Em desânimo ou em euforia, terias de inventar novas.
.

Possivelmente, eu precisaria doutra dor, para que escrevesse novamente sobre ti

Sem comentários: