digo e o oposto, constantemente volúvel, às vezes verdade. juro pela minha alma, mais do que vinho amo a água e só me desenseda e lava, a cara, o corpo e a vergonha de ser quem não quero. os sonhos antigos são sonhos e antigos e os novos de esperar, é esta a vida a mim agarrada, se esperança existe.

segunda-feira, dezembro 28, 2015

Navio-fantasma

.
Enrolado em lã, da macia, porque dia do gato. Tenho muito para fazer quando não tenho nada para fazer. Destapo-me e dispo-me, olho em contrapicado para a fachada da Catedral de Colónia e os olhos quase não chegam. É isso, a construção da casa e das vozes surgentes na cabeça. O início arrasta horas e a desoras noto a inanição e vou já, e já significa uma paragem depois de horas. Bebo água e acalmo-me quando o mar desce e fica a areia na vista, então deixo a nudez. 

Letra J


sábado, dezembro 19, 2015

Coração patinador

.
Então:
.
– Então, apaixonei-me por ela.
.
– Quem? Quem?
.
– Uma miúda da minha turma…
.
– Como era ela?
.
– Não sei bem o porquê… era cool, tinha pinta, popular e boa-onda.
.
– Mas, fisicamente…
.
– Baixota e… muito bonita.
.
– Como bonita?
.
– Bonita!
.
– O que fizeste?
.
– Não fiz nada. Fui tímido até muito tarde. Em contrapartida, sempre fui muito consciente da realidade e que andar de patins era coisa que escusava.
.
– Assim é que é não tiveste mesmo hipótese.
.
– Nunca teria.
.
– O que aconteceu depois? Esqueceste-a? Cortaste os pulsos? Choraste desalmadamente?...
.
– Suspirei. Suspirei triste. Na verdade, aos treze anos, não sabia o que era isso de namorar – sabia que tinha de haver uma declaração… e se ela aceitasse, o que fazer?... e se ela me desse uma, mais do que provável nega, o que fazer?... E no dia seguinte?... E os intervalos?...
.
– Esqueceste-a?
.
– Apaixonei-me por outra.
.
– Esqueceste-a depressa, à primeira.
.
– Nada! Estava apaixonado pelas duas ao mesmo tempo.
.
– Essa segunda miúda como era?
.
– Loirinha…
.
– Aos treze anos somos muito atraídos por loiras.
.
– A primeira também era loira… aloirada… ouro velho.
.
– Conta-me mais sobre a segunda.
.
– Loira e de olhos azuis… ou seriam verdes?... Penetrantes.
.
– O que fizeste?
.
– O mesmo que não fiz à primeira.
.
– Eram parecidas?
.
– Nada. Em nada. A primeira era cool, a segunda era daquelas muito arrumadinhas. A primeira gostava de desporto. A outra preferia ficar à conversa nos intervalos.
.
– Essas paixões adolescentes… quanto duraram?
.
– O tempo todo em que estive na escola.
.
– Bolas! Isso parece uma coisa de Sempre-Noivo ou de Triste-Viuvinha…
.
– Nada! Fui apaixonando-me por mais. Mais tarde, aos dezassete anos, é que encontrei uma miúda a quem fui capaz de me declarar.
.
– E?...
.
– Ela aceitou.
.
– Quanto tempo durou?
.
– Nem sei. Mas, uma semana depois, fui de férias para o Algarve e comecei a namorar uma alemã.
.
– Don Juan...
.
– Acho que não.
.
– Finalmente esqueceste as outras.
.
– Sim. Mas continuei a apaixonar-me sucessivamente, mesmo tendo namorada… tive muitas, mas também ganhei campeonatos de hóquei em patins.
.
– O quê?
.
– Par de patins.
.
– Ah!
.
– Só atinei aos vinte e três anos.
.
– Quanto tempo?
.
– A partir daqui não digo mais nada.
.
– Porquê?
.
– Não me apetece. Quando esse primeiro amor sério – sérios foram também os outros, no padrão adolescente – terminou voltei a ser namoradeiro e campeão de hóquei no gelo.
.
– Mudaste de desporto?
.
– Sim… mais fácil de cair, de me manter de pé e de me aleijar.
.
– Por isso não contas mais nada a partir de mil novecentos e noventa e três…
.
– Não! De dois mil.
.
– Sabes delas?
.
– Duma, sim. Doutra não.
.
– Compreendo.
.
– Mas, olha. Dessas duas primeiras namoradas… ainda somos amigos. Falamo-nos, não todos os dias ou semanas ou meses, mas várias vezes por ano.
.
– Tá giro, oh patinador.
.
– Depois vi a luz.

Letra C e Letra W


terça-feira, dezembro 01, 2015

Bomba calórica

.
E se houvesse uma bomba inteligente? Que acertasse só no alvo. Que fosse bondosa e avançasse com vontade própria para que ninguém fosse carrasco, como a praga do raio que te fulmine. Mas fosse falível, para que eu pudesse estar no sítio errado. Só uma vez. Depois de arranjada seria perfeita.

Letra M


segunda-feira, novembro 30, 2015

Futebol-barbitúrico

video
.
Preciso como um relógio. Não como um qualquer, mas como mecânico de fabrico suíço. Os de pilha não têm estatuto, os nucleares são inacessíveis e os regulados por satélite arrefecem por banalidade.
.
Um relógio mecânico. Com a precisão das coisas humanas, quase perfeito. Quase nem atrasa ou vai além do tempo certo. Tem de ir ou não será mecânico.
.
Porém, mecânico:
.
Mecânica é rigor, precisão, engenho, destreza, ambição e desafio, provocação e permanente insatisfação.
.
Mecânico significa grilar tique-taque.
.
Além se lembrou de chamar tiki taka ao futebol praticado pelo Futbol Club Barcelona.
.
Rigor, precisão, engenho, destreza, ambição e desafio, provocação e permanente insatisfação. Tique-taque.
.
Correndo caminhando longitudinalmente ou caminhando correndo latitudinalmente ou ora correndo e ora caminhando em diagonais, sempre perto uns dos outros, os jogadores fazem:
.
– António passa a Manuel passa a Pedro passa a João passa a António passa a Raul passa a Manuel passa a Paulo devolve a Raul atira para Vasco, que é o guarda-redes e quase deixa perder a bola para o adversário, mas atira para Paulo, passa a António passa a Miguel passa a Carlos passa a Nuno passa a Paulo deixa para Miguel passa a António passa a Carlos que remata e marca golo.
.
Os adversários são toureados e nem lhes cito os nomes para que má memória deles não fique. Tanto-fazem, porque é imparável a dinâmica do relógio.
.
Entediante como ficar a olhar para o trabalhar da máquina relojoeira durante uma hora e meia, com um intervalo de um quarto de hora pelo meio.
.
Tanto-faz, é igual a ficar a olhar por noventa minutos, com quinze de pausa, para o mostrador dum relógio.
.
Futebol de empata, o tique-taque.
.
O tique-taque, sobretudo se bem jogado, parece-se com um número de circo!
.
Detesto circo!
.
Trapezismo, equilibrismo, malabarismo, contorcionismo, palhacismo ou domesticação de feras que interesse têm?
.
Futebol é corrida, domínio de bola e avanço, corte e resposta. Poupo-me ao jogo do passa ao outro ou ao mesmo.
.
Detesto circo e só na cama gosto de touradas. Há tantos belos relógios mecânicos!
.
Tique-taque.
.
.
.
Nota: Aproximam-se o Natal e o meu aniversário… adoro relógios Nomos.
.

Letra M


quinta-feira, novembro 26, 2015

Negro-permanente

.
Não consegui identificar a autoria.
.
.
Não consegui identificar a autoria.
.
.
Não consegui identificar a autoria.
.
.
Não consegui identificar a autoria.
.
.
Não consegui identificar a autoria.
.
.
Não consegui identificar a autoria.
.
.
Ian McQue.
.
.
Não consegui identificar a autoria.
.
.
Não consegui identificar a autoria.
.
.
Não consegui identificar a autoria.
.
.
Não consegui identificar a autoria.
.
.
Alexey Menschikov.
.
.
Ian Michael Rousey.
.
.
Não consegui identificar a autoria.