sábado, março 11, 2017

Saudade da casa

.
Ah! O cão… chegar a casa, donde se esteve longe por um dia ou um minuto, é tê-lo feliz, doido de alegria, genuíno de amor e entrega, o mimo generoso que espera correspondido por um simples afecto. Louco de amor, corre para contar da chegada e segura numa lembrança e brinca, como se fosse fogo-de-artifício.
.
Melhor do que a recepção do cão só há a do gato.
.

Sem comentários: