sexta-feira, setembro 30, 2016

Caixa de madeira

.
No Outono, no meu jardim de Outono, espero ter a ordem do universo, só o sobressalto de Outono sem pólen de Primavera.
.
No meu jardim de Outono sou só no mundo e o mundo é outro lugar onde tudo o que importa no mundo importa ao mundo.
.
No meu jardim de Outono os pés são nus e mostram a sua natureza no chão irregular. Nenhum pássaro se revela, mas canta a luz descendo.
.
O meu jardim de Outono guarda-se numa caixa de madeira com recados antigos do tempo do amor-sorriso e ramos de perfumes atados lembrando quem não me recordo.
.
Guardado na caixa, o meu jardim de Outono vê o Inverno chegar e depois a Primavera e depois o Verão e finalmente se liberta alinhado na ordem do universo.
.
.
.
Nota: O trabalho de Luiza Maciel pode ser conhecido neste sítio http://desenhosluizamaciel.blogspot.pt/

1 comentário:

Luiza Maciel Nogueira disse...

Ei João mais uma vez obrigada, adorei o texto intrigante com suas múltiplas interpretações. Sou fã do teu jeito de escrever livremente, provocando sempre algo em quem lê. Bons dias 😊!