digo e o oposto, constantemente volúvel, às vezes verdade. juro pela minha alma, mais do que vinho amo a água e só me desenseda e lava, a cara, o corpo e a vergonha de ser quem não quero. os sonhos antigos são sonhos e antigos e os novos de esperar, é esta a vida a mim agarrada, se esperança existe.

domingo, outubro 04, 2015

Antes

video
.
O braço do mundo é tão denso que é pequenino e é-o nas vezes dum quasar, a palavra-luz-tempo. Puro de amor, impensável dimensão do amor. O ácido desoxirribonucleico é afecto e antes de ser já o éramos, e para sempre.
.
.
.
Para M.

Sem comentários: