domingo, setembro 27, 2015

Sei quem tu és – o romance que não acredito ter conseguido escrever

.
Não consigo ler, pois cansa-me muito. Nem romances nem romances históricos. Reescrevo-os e torna-se num sufoco. Dos perfeitos aos desastres, sem excepção são alteradas letras, palavras e personagens.
.
Detenho-me quando a minha estória é incompatível com a do autor. Um dia agarrei num manual de relojoaria e no estirador coloquei um relógio morto e as ferramentas. Abri-o e fui anotando, por ordem e camadas. Que pesadelo! Comecei a arrumar as pecinhas na caixa, mas sobravam e, quando ajeitadas, a tampa não se fechava. Consegui, em menos duma hora, perceber que não poderia ser relojoeiro.
.
Foi mais ou menos o mesmo tempo para compreender que nunca serei romancista.
.
.
.
Nota 1: Escrevi um romance, mas não sei como. É curto e deu tanto trabalho quanto as obras completas de Leon Tolstoi. É curto no número de letras, mas é denso como ósmio e doloroso como a orfandade precoce.
.
Terminei-o no Verão de 2003, se não erro, e farto de o aturar expulsei-o em Janeiro deste ano. Recebi elogios, que guardo em segredo, mas ninguém quis com ele tingir papel. Editei-o em formato digital porque ninguém o quis. Vivera demasiado em casa.
.
Nota 2: A dada altura, há um capítulo com o título «benvindo sejas». Não é erro, é teima – sei que tenho razão! Se Maria é bem-vinda e Benvinda quer dizer bem-vinda, por que benvindo se haveria de escrever bem-vindo?!
.
.
.
.
.
quem o quiser comprar:
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
http://www.amazon.de/Sei-quem-tu-Jo%C3%A3o-Barbosa-ebook/dp/B00RWCO3CA

1 comentário:

Mafalda Santos disse...


Quem somos... pergunta demagógica...ou não!
Lutamos por ser um, e um só ser independente, e depois vemo-nos arrojadamente a triplicar. Triplicamos personalidades, estados de alma e sentimentos.

ps ao JB: Não me canso(ou cansarei) de olhar para este quadro! Ainda hoje te digo OBRIGADA!!!!!!