quarta-feira, julho 29, 2015

Corneta-acústica

.
– A casa é grande, mas a vizinha de baixo é muito surda. Ouve-se aqui a novela.
.
– O quê?!
.
– Muito surda.
.
– Não percebo... o quê?!
.
– Muito surda.
.
– Ai, estou mesmo surda...
.
– Muuuiiito suuurda!
.
– Não consigo entender. Diz mais de vagar.
.
– MUITO SURDA!
.
– Ai, não consigo mesmo…
.
– Oh! MUITO SURDA! MUITO SURDA!
.
– Não é por gritares que vou ouvir… diz lá devagarinho para ver se entendo.
.
– (…)
.
– Ai, diz lá...
.
– (Deus me dê paciência) (...)
.
– Ai, Jesus. Diz lá. Tens de ter paciência comigo.
.
– M-u-i-t-o s-u-r-d-a.
.
– Quem é que é muito surda? Eu sou muito surda? Pois sou.
.
– A minha vizinha de baixo.

Sem comentários: