sexta-feira, dezembro 19, 2014

Frutas

.
Apetito-te! Esse apetite de não-comida.
.
Sob os lençóis as raízes do prazer, da flor da pele à fruta dos lábios, a copa de cabelos e um tronco e braços de trepadeira.
.
Quendera fosse a árvore proibida, para ter por certa a maçã para dividirmos.
.
Quendera fosse a árvore permitida, para ter por certos os maracujás.
.
A árvore da incerteza,
.
Quando estás doce sei que és salgada.
.
Sede que me sacias.
.
Apetito-te! Agora, ontem e amanhã.

Sem comentários: