sexta-feira, março 17, 2017

Há muros mas escadas

.
Do nada chegou com um fósforo. Sem lhe ter pedido lume, acendeu-o com a palavra sincera como a sopa quente quando somos um rio. Grato e envergonhado, quando me secar dou-lhe uma fruta de Verão.
.
.
.
Nota: Há amigos que se revelam nos nadas. Surpresas como as do Natal de antigamente. 

Sem comentários: