segunda-feira, dezembro 26, 2016

Mil-imagens para escrever sensual

.
As musas surgem e vão-se, de estado-matéria fugidio, no sólido sem tempo, estão para o feitiço incendiário, depois escorregando para água ou diluindo-se num esfumado.
.
.
Os desgraçados apaixonam-se. Os outros fazem colecções de números ou outras coisas desconhecidas ou não gosto ou não gosto porque não sei.

.

.
Há livros de esoterismo e do erotismo sabem os emotivos, ambos nas fantasias de crerem no futuro de as sentirem.
.

.
Têm a boca perfeita e os olhos de malefício e sortilégio, as mãos de encantamento e libertação e o corpo de fazer amor. Falando dos lábios e do corpo, digo da vontade do sabor, o primeiro do saber.
.
.
Sem exorcismo para o enguiço são indigentes os ficantes e desventurados os partintes. Por mal-olhado, bem-olhadas, tranquilas e desassossegadas, os infortunados vêem-nas nuas, como os marinheiros ouvem as sereias.
.
.
Os enfeitiçados são da mesma substância, isso é segredo, e o coração esquece-se do que o cérebro se omitiu. Em fascínio libertam-se do encantamento, fugindo depois de transpirados os lençóis ou dos quartos nocturnos sem luar.
.
.
Cada um por si, mas unidos invisíveis-intangíveis.
.

.
.
.
Nota: Por incapacidade do Blooger, por limite de caracteres, ficam indicados, em baixo, os créditos autorais das imagens utilizadas.
.
.
.
.
Desenho de Edouard Vuillard
.
.
.
Desenho de William Woodward
.
.
.
Fotografia de Seba Kurtis
.
.
.
Técnica mista de Donald Sultan
.
.
.
Escultura de Rona Pondick
.
.
.
Pintura de Paul Neagu
.
.
.
Pintura de Victor Vasarely
.
.
.
Fotografia de Thomas Ruff
.
.
.
Pintura de Marica Fasoli
.
.
.
Pintura de Phillip Mark Anthony Thomas


Sem comentários: