domingo, dezembro 11, 2016

A tarde e a noite

.
Tirar-tas, de algodão, claras com florzinhas, como seria naquela tarde, sentir-te os aromas do talco e do despertar.
.
Faremos o que desejámos e nunca soubemos.
.
Tirar-tas, de seda negra, como uma noite proibida de que se guardará silêncio.
.
Faremos o que desejamos e sempre soubemos.

Sem comentários: