segunda-feira, setembro 12, 2016

Como sonhando

.
Maria está nua de inesperada nudez e desprevenido aconteceu-me como se o estivesse.
.
Numa mansarda no declive de Alfama quase direita na linha do Tejo.
.
Descalço nas tábuas e divã, a música e o ar que traz frescura, calor, luz e rua.
.
Amanhã é longe, dia não finda.
.
Maria infinitamente nua como numa fotografia.
.
Cheirantes um do outro, aroma de memória futura como tudo resto que sobra dos abandonos.

Sem comentários: