sábado, agosto 13, 2016

Sempre à volta

.
O horizonte é mais ou menos verdadeiro. Intangível num mundo redondo como a fotografia. Olhando ou cego para onde, tudo à volta, do descansar a vista até à ansiedade.
.
.
.
.
Nota: a pintura do topo é de José María Yturralde e a do fundo de Casper Brindle.

Sem comentários: