quarta-feira, agosto 17, 2016

Eu

.
Não fui eu. Nem sou. O meu modo de ser é nenhum e vêem-me ninguém. Do quarto à Lua quase um estorvo, irrelevância que não o permite.

Sem comentários: