quarta-feira, fevereiro 03, 2016

Todos os sentidos – a perfeição

.
O que vale a pena na vida. Digo dos olhos e ainda faltando à verdade – a verdade é absoluta.
.
Podia dizer de música. Não há ofício tão benquisto, poucas legendas a caligrafia abandona.
.
Pelos olhos se apaixona. Incontável maioria de esquecimento de contar o nome do operário
.
Há juras de que não se sabe cheirar. Mais não do que de memória de nomes ou locais e momentos. Do seio ao orgasmo, sangue e ansiedade, por raiva da essência animal – adrenalina.
.
O tacto é tudo.
.
A boca é sagrada. Com ela se sela o casamento ou outro negócio. Quem sabe dos amargo, doce, salgado e ácido. Umami… O picante é exactamente o quê? A boca começa no nariz e termina no estômago.
.
A cama: sono, sono-mimo, mimo, sexo, sono-sexo, orgasmo, pesadelo, pesadelo-erótico, heroísmo e pré-morte. Na cama: preocupação, paixão e outros sofreres, desejo e efabulação, orgasmo, amor, impenetração, fidelidade, adultério e conversas acabadas. Bendita é se na quebra não viver violência.
.
Pelos olhos se apaixona. Que digo de minha injustiça?
.
– O céu de Rubens, a luz de Rembrandt, um anjo de Leonardo e a terra de van Gogh.
.
Ainda o azul.

Sem comentários: