quinta-feira, fevereiro 18, 2016

Invisualisando

.
Boca e olhos secos e ainda na fonte de lágrimas e nelas afogando-me. A alma incomoda o sono e o coração salta à corda. Tremo por me temer. Condeno-me e absolvo-me pelas culpas e injustiças. Não sou o único a carregar o mundo e tanto faz – sou pesado e denso, não tenho árvores nem rios nem passarinhos. Merdifico as alegrias e desvejo a felicidade.

Sem comentários: