sábado, outubro 03, 2015

A Bélgica

.
Quando lá fora chove, cá. Quando lá fora gente, aqui. Quando lá fora o calor do suor que resfria, de fora.
.
Quando a melancolia, os outros. Quando a nostalgia, ninguém. Quando a tristeza, os telefones.
.
Jogo a palavra e o silêncio vem como trunfo. Perco na sueca, envergonho-me na copa. Fogem do poker, onde a vantagem de olhar de dentro, canasta não dançam.
.
Jogo a palavra, o silêncio não ouve. Quando lá fora chove, em mim fica a Bélgica.

Sem comentários: