quarta-feira, julho 15, 2015

O amargor depois da mentira

.
Dividido entre a razão e o coração. E se o coração for razão e sem ele não havendo tino?
.
Que culpa têm, sabiam, pois sabiam. Sabendo, pois sabiam ou não quiseram saber, nada fizeram porque a vida ia bem. Um dia a vida desamparou-se. E a vida continuou como se não houvera tombado pois vinha de lá e nada se fazia para cumprir juramentos.
.
E agora, sim neste momento, o que fazer com os fracos se os fortes são fracos?
.
As bocas sujas falaram da limpeza e da luz duma verdade mentirosa.
.
Sabiam, pois sabiam ou fingiram não saber. De olhos fechados na tranquilidade do impossível prometido.
.
Então forte, a canalha fez fracos os fortes. Durante meses suicidando-se e na urgência do tempo sujaram o sujo e assim mais os fracos.
.
A verdade era mentira e a força a duma bufa. Tão fortes e ajoelhados, porque tão fracos e de boca suja. Pela traição humilharam aqueles, os mesmo fracos, que sabiam, pois sabiam ou fingiram não saber. A vida corria, porque alguém dava e ali nada se fazia por cumprir juramentos.
.
Por fim, sem saída a canalha tombou. Humilhada, a Grécia se ajoelhou e a outra canalha riu-se, desprezível e mesquinha, em revanche de gente pequenina.
.
Explicado, pergunto:
.
– A razão ou o coração, se o coração é razão para não. E sabiam, pois sabiam.
.
Todos sabiam e a vida corria. Até ao dia. E ainda o Juízo Final por chegar, mais sombrio por causa do tempo do suicídio da canalha, dizendo mentiras pelas bocas sujas e mãos transtornadas.
.
O povo é fraco e por isso vai pagar. Pois escolheu a vida que ia continuando e no fundo do bolso deixou a mentira enganar.
.
E os fracos, os mesmo fracos?
.
Entre a razão e o coração. Entre a dignidade que não se nega aos derrotados e a reprimenda merecida. Pois sabiam, pois sabiam. Mas a vida ia e as promessas, para quem dava, não.
.
E os mais fracos?
.
.
.
Nota: Alexis Tsipras e o sinistro Yanis Varoufakis que castigo merecem, se ninguém pode tirar a vida a alguém?

Sem comentários: