terça-feira, junho 23, 2015

Um país que não existe

.
Reduzir ao máximo é um acto impossível… como beijar-te e fazermos amor, ou voltar ao ventre.
.
.
.
Nota: Isto a propósito dum teimoso e comum erro de português.

Sem comentários: