terça-feira, junho 23, 2015

Cabernet sauvignon

.
Nada é tão belo quanto o dinheiro!
.
Não quero ser banqueiro nem anarquista nem banqueiro anarquista. Quero ser rico, muito rico, rico até. Quero ser rico sem esforço e sem mérito.
.
Inútil?!
.
Inútil é nadar sem sair do sítio.
.
Inútil?!
.
Enquanto isso, ir de avião privado beber um vermute ao Mónaco ou entardecer em Beirute deixando-me ir na maré dum cabernet sauvignon.
.
.
.
Nota: Vista de Beirute, no século XIX, de autor desconhecido.

Sem comentários: