quinta-feira, janeiro 15, 2015

Maremoto

.
Envolta em lençóis translúcidos e véu da cor da espuma marinha, raptas-me a vista. Desajeitado entro na água e somes. Regressas brincando e aflijo-me por conseguir esconder. Mergulhas e quase morro em deleite. Unidos até uma onda nos rebentar, num mar sossegado faremos um maremoto.

Sem comentários: