sexta-feira, dezembro 19, 2014

Metamorfose escultórica

.
Gostava de te ter visto nua, para que de derretido ficasse bronze. Em vão, tanto tempo ao ar e ao pó que agora estou rijo, de pedra e esperança.
.
.
.
Nota: Vive-se um tempo em que o respeito pelo trabalho alheio é descartável. Esta escultura, apesar de surgir em vários locais na internet, parece ser filha de pais anónimos. Se alguém souber que é o escultor, por favor, informe-me, de modo a poder atribuir-lhe os créditos.

Sem comentários: