sexta-feira, dezembro 16, 2016

Estavam isentos de morte

.
.
Tinham a adolescência e a isenção de morte. Não passavam juntos a porta, porque era segredo. Caíam loucos de desejo e atrasados nos orgasmos. As tardes infinitas terminavam prematuramente e só tinham estado a estudar. Ele corado ficava para jantar e os pais dela mostraram-se ingénuos, deixando-os contentes como as crianças visitadas pelo Pai Natal.
.
Um dia acabou-se. As marés sobem e descem e o mundo tem muitos mares e praias para naufragar. Estavam isentos de morte. Provavelmente choraram despedaçados por sete dias e oito noites, usaram as mãos e os olhos fechados e abandonaram-se noutros quartos e tendas.
.
A vida continuou. Nenhum sexo foi tão mau quanto aquele, o melhor das suas vidas.

Sem comentários: