sábado, janeiro 02, 2016

O Tigre

.
Quero ser comido por um tigre. Um tigre que tire da jaula e tenha o impulso que, por vezes, os gatos têm. Não se jogue à jugular, mas dê a honra de alcançar o coração batente com uma só e completa dentada – como se tivesse as mandíbulas das máquinas que colhem terra. E com essa que me cubram. E nela se espoje saciado e impunido, impunível, ronronando pelo favor e pela injustiça.

Sem comentários: