quarta-feira, novembro 04, 2015

Da Terra em torno do Sol

.
O tempo e o relógio e suas complicações. Mais lento o tempo de te cair a roupa do que o quasar do prazer arriscado e por isso tumultuoso. Lá fora é indiferente, se nenhum telefone tocar, nem a luz e muito menos as vinte e quatro horas, as quarenta e oito horas ou os quinze minutos.
.
Os meus olhos viram-te nua muitas vezes, diante da luz da procura ou numa escuridão. Prazeres perfeitos e palavras de dizer, sejam qualquer coisa. Um fim ou talvez promessa.
.
Que se cumpra o dito ou o prometido ou o desejado ou o atrasado ou a transgressão ou a repetição e o nervoso nos lençóis tépidos e a câmara perfumada pelos corpos dados ao prazer.
.
Sei do tempo e do relógio parado, sem as complicações imperfeitas e do correr da Terra em torno do Sol, indiferente na cama. Só o cair da roupa e o momento por tudo e todos os lados.

Sem comentários: