digo e o oposto, constantemente volúvel, às vezes verdade. juro pela minha alma, mais do que vinho amo a água e só me desenseda e lava, a cara, o corpo e a vergonha de ser quem não quero. os sonhos antigos são sonhos e antigos e os novos de esperar, é esta a vida a mim agarrada, se esperança existe.

sábado, outubro 10, 2015

Onde se não foi

.
A grande enorme sala de arquitectura de relevo ponderado e silêncio pronto a que a música hipnotizasse no tempero da subtileza exotismo e levitação – erotismo tranquilo da noite da conversa dos dias seguidos e noites de amor e calma amor e cama – tranquilidade tépida do rio florido e cores intensas na segurança do deslizar dum sangramento de transe e amor e cama.
.
video
.
.
.
Nota: Devido a falta de capacidade da caixa das etiquetas, fica aqui o crédito da música. Acompanhando Rao Kyao, Orquestra Chinesa de Macau.

Sem comentários: